De repente… 30


Poderia ser mais um título de filme “água com açúcar” dá Sessão da Tarde. 

Mas não. 

É que o blogueiro tá fazendo 30, mesmo.

O blogueiro, inclusive, anda meio desaparecido. Nem sabe se ainda tem algum público. Talvez o blogueiro esteja escrevendo pra ninguém, neste exato momento.

O blogueiro está há quase dois anos sem aparecer por aqui, de maneira decente. Muita coisa aconteceu nesse meio tempo. Coisas boas e ruins. O blogueiro voltou pra faculdade (obra de Deus!), o blogueiro casou (muuuuuito obra de Deus!)… O blogueiro entrou em depressão… E achou que nem ia sair vivo dessa. E se saiu, e se está aqui, escrevendo, nesse exato momento, foi obra de Deus.

Pois é. Parando pra pensar, tenho muito o que escrever. Pena que o tempo é inimigo. 

O blogueiro anda frequentando outras freguesias: vive lá no Wattpad. Já publicou mais de 20 títulos, entre devocionais, contos e poesia. O blogueiro ganhou até prêmio literário​ por lá (procure por “Maria da Periferia” no Wattpad).

O fato é que o blogueiro anda meio parado. Nesses dias tenho refletido muito, e lembrado como esse blog já foi importante na vida de muita gente. 

Gratificante perceber que somos instrumentos de Deus! E somos por misericórdia! Que Ele apareça e eu suma… Cada vez mais, como já dizia João Batista.

Mas, sobre o que escrever nessa nova fase?

Na verdade, há muito. Vida de casado, lavador de louça e pagador de conta, rsrsrs… Marido de uma esposa linda… Alguém que venceu – pela misericórdia de Deus – um momento de depressão (em pensar que tem gente que vive uma vida inteira lutando…). Dá pra falar de música, de literatura, e de como Deus se usa das artes para anunciar as Boas Novas… 

Enfim, assunto é o que não falta, e não há livros suficientes para serem escritos.

Tudo o que eu quero dizer – mesmo sem saber se tem alguém a ler – é que os 30 chegou! E o blogueiro nunca se sentou tão vivo! E com tanta vontade de falar dá melhor coisa do mundo: 

“INDEPENDENTE DE QUAL SEJA A SUA PERDIÇÃO, HÁ SALVAÇÃO EM JESUS CRISTO!”

Então, hora de tocar a bola pra frente, é continuar. E quão libertador isso soa!

Que Deus possa te libertar também! Amém!

Anúncios

TEMPO DE REVITALIZAÇÃO E DESABAFOS…


Depois de 5 anos de caminhada, confesso que neste ano o blog andou meio descuidado. A grama, antes sempre aparada, cresceu… o mato já tá tomando conta, rsrs.

Sério! É angustiante ver apenas 2 ou 3 postagens por mês. Em Abril, fizemos 5 anos, e praticamente passou batido… :/

A verdade é que os combates nos fazem baixar a guarda e o ritmo. O cansaço da caminhada, senão nos faz querer parar, nos faz diminuir a marcha..

Mas, como diz aquele hino: “O Evangelho nos diz: Marchai!”, e não podemos abaixar nossas cabeças! Temos que seguir em frente! Não é assim? Continue lendo “TEMPO DE REVITALIZAÇÃO E DESABAFOS…”

Quando fracassar é a melhor coisa


Uma vaga na Federal? Quem não quer? Quem abriria mão?

Desde cedo, a universidade foi minha meta. Desde as primeiras boas notas no ensino fundamental, desde a minhã mãe dizendo que tinha que ser alguém na vida. Quis ser muita coisa, desde então. Quis ser professor, mas me assustei com o caos da educação pública. Quando criança, queria escrever. Mas, não se como, esse sonho foi se perdendo através dos tempos. Talvez porque quase ninguém tem escritores bem sucedidos (leia-se: gente que consegue pagar suas contas apenas escrevendo) entre seus vizinhos. Quis enveredar pelos caminhos da publicidade, mas me disseram que jamais venceriam as “panelinhas”, por mais que pouco entendesse o que isso significa. Tentei até o design, mesmo sem saber desenhar um circulo com o fundo de uma garrafa. Mas é o que se faz quando se tem apenas 18, o melhor ENEM de sua escola e uma bolsa de 100% do Prouni. O problema não era o Prouni, e sim eu, que não sabia o que fazer com ele.

Gostava de computador. De computador, não de facebook. Gostava de saber como eles funcionam. A lógica por trás deles. Toda a coisa do digitar algo na barra de endereços e o mundo aparecer no seu navegador. Assim, em 2011, tinha uma vaga na concorrida UFSCar, no concorrido curso de Sistemas de Informação. Tinha uma vaga EaD, na verdade. Mas a grade era a mesma, os professores eram os mesmos. Bom! Continue lendo “Quando fracassar é a melhor coisa”

Minha Conversão


VERÃO DE 1995 FOI LEGAL! O primeiro em que passei na casa da minha falecida vó Emília, e da minha muito viva tia Dilma! Foi incrível passar aquele final de ano com minhas primas. Experiências e momentos que nunca vou esquecer! Foi naquelas calçadas da Vila Santa Isabel onde dei minhas primeiras pedaladas. Me sentia o maior dos aventureiros dando voltas no quarteirão, e ficava impressionado com a imponência do prédio da igreja católica daquele bairro. Arquitetura linda! Eu só me sentia mais aventureiro nas andanças com o meu hoje falecido tio Emílio, que me levava consigo em cada bico que.conseguia naquela região da Vila Carrão, zona leste de São Paulo. Amava conhecer novos lugares, mesmo que esse mundo desconhecido fosse a rua do bairro vizinho nunca antes explorada.

Mas a lembrança mais viva  de todas que tenho daquela época, eu ainda carrego comigo. É a minha bíblia, a primeira que tive. Ganhei da minha avó, assembleiana fervorosa. Mesmo com a minha mãe pouco frequentando igreja durante minha infância, posso dizer que nasci em um lar cristão, uma vez que ela já havia sido inclusive batizada durante sua adolescência, e casado na igreja. Logo, os ensinamentos de Jesus sempre estiveram comigo, e ganhar aquela bíblia grande significava muito pra mim. Com apenas 8 anos, tentei começar a leitura. Lembro que cheguei a ler Gênesis inteiro, e lembro que pouco entendi a famosa tradução de João Ferreira de Almeida, e suas palavras tão rebuscadas. Afinal, era apenas uma criança em fase inicial de alfabetização. Assim, minhas aventuras bíblicas pararam em Êxodo, assim como a fé muita gente, rsrs…

O tempo foi passando, e eu fui vendo com os meus próprios olhos o cumprimento das palavras de Jesus: “a planta que meu Pai plantou, ninguém arranca”. Via a inquietação da minha mãe em tentar achar o caminho de volta para os braços de Deus. Volta e meia estávamos metidos em alguma igreja nova que havia no bairro, e assim fui crescendo.

Foi nos meus 13 anos de idade que, através de vizinhos, a Congregação Cristã no Brasil chegou na minha vida. Tudo que sabia sobre ela até então é seus templos eram imponentes, grandes, em comparação as igrejas de garagem que já havia visitado. E foi lá que eu, e minha família, fomos e ficamos. Não compartilho da ideia de que a Congregação seja a “graça verdadeira”, como pregam alguns. A bíblia é bem clara! Graça é o favor de Cristo, que morreu em nosso lugar, e com sua ressurreição nos livrou dos nossos pecados e nos ofereceu vida eterna. A Graça não pertence a um grupo religioso, mas vem de Deus. Vem de Deus, e não de nós, para que não nos gloriemos (Efésios 2:8). Mas, se fiquei na Congregação, é porque fui verdadeiramente chamado por Deus, e dou muito graças a Ele por isso!

Aliás, foi tão especial… Glória a Deus!

Já congregava há algum tempo. Naquela quinta feira, na congregação onde faço comum até hoje, não lembro do trecho que foi lido na Palavra, tampouco da pregação. Lembro apenas do meu cooperador pregando algo como “se você abraçar essa palavra, Deus vai fazer uma grande obra na sua vida!”. Não sei o que me deu, só sei que estava com a minha grande bíblia, presente da minha avó, em mãos. E não pensei duas vezes: abracei ela contra meu corpo com toda a força! Literalmente! Não sei o que me tomou  ali, só seu que quando vi, já estava abraçado à minha bíblia. Era a primeira vez que tinha certeza absoluta que Deus estava falando comigo! O Espírito Santo estava tocando meu coração. Considero aquele dia como o dia da minha conversão, o dia em que tive a certeza de que Caminho iria seguir pelo resto da minha vida: Jesus Cristo. Foi algo tão forte que me arrepia só de lembrar.

É bom lembrar de como Deus te chamou no Caminho, e de que você não está aqui atoa, e que Deus está realizando uma grande obra. Isso me conforta em dias de provas, como esses.

E você, como foi sua conversão?

Publicado do WordPress para Android

27


VINTE E SETE

Graças a Deus!

Ontem, cheguei ao “clube dos 27”, muito bem e muito feliz!

Repito: graças a Deus!

Trabalhando, estudando, postando… E descobrindo Deus a cada dia mais, e me sentindo a cada dia mais contente, mais completo e mais bem resolvido.

Dizer que temos experiência e maturidade aos 27 seria “forçar (muito) a barra”, mas já não enxergamos mais o mundo como enxergávamos aos 18, por exemplo. Muita coisa que parecia complicada ficou simples. Muita coisa que desejávamos como nossas próprias vidas nem fazem mais parte dos nossos planos. Muito daquilo que parecia importante acabou perdendo a importância.

Pelo menos essa a minha visão. É esta a sensação que tenho. E você que já chegou ou passou dos 27, o que acha disso?

Bem, se você googlar “clube dos 27”, você descobrirá que esse termo costuma ser utilizado para nomear o grupo músicos famosos que morreram aos 27 anos, muitos em decorrência de problemas com drogas e álcool. E ao contrário do que você possa imaginar, o grupo é realmente (e assustadoramente) grande. Entre eles está o guitarrista Jimi Hendrix, o ex-vocalista do Nirvana Kurt Cobain e aquela que certamente foi uma das mais incríveis vozes que ouvi em meus vinte e sete anos: Amy Winehouse.

Devido a minha idade, só pude ver “de perto” a triste trajetória da cantora britânica, que, segundo muitos, após o fim de um relacionamento amoroso mal-sucedido, acabou se entregando à depressão, e por consequência ao álcool e drogas pesadas. Confesso que foi de certa forma triste ver uma artista tão talentosa ruir de maneira tão trágica, morrendo aos poucos, diante do mundo inteiro.

Uma vida que se foi tão cedo. Ela tinha apenas 27. Igual a mim.

Apesar da fama, sucesso e dinheiro, ela não estava feliz, contente e bem resolvida. Talvez faltou a ela conhecer o Deus que nós conhecemos. O Deus que nos ampara nos nossos momentos de dor, preenche nossos vazios, resolve nossas questões…

Foi apenas mais uma que, como disse Jesus “ganhou o mundo, mas perdeu a alma”.

É por isso que não devemos desprezar o Grande Bem que temos. Por mais que não tenhamos todo o dinheiro e sucesso que achamos que deveríamos ter. O que nós temos vale mais que o mundo inteiro, e todo o seu ouro. Nos nossos momentos de dor, não precisamos recorrer as falsas amizades, as drogas e as bebidas. Basta abrir nossas bíblias, congregar, colocar os joelhos no chão e deixar Jesus fazer o resto.

Ao chegar aos 27, parei de questionar o porquê de faltar isso ou aquilo. Descobri que nada nunca me faltou, e sim que passei muito tempo desejando o que não precisava.

De repente você descobre que nessa viagem as malas não precisam ser tão grandes, e que você não precisa de tantas bagagens, pois para onde você está indo já tem tudo.

É como estar indo para uma festa e estar preocupado em levar o bolo.

Por isso estou em paz. Feliz! E espero que independentemente da tua idade você possa estar sentindo a mesma paz e felicidade. Pois aos que entregaram suas vidas para Jesus, a vida nunca acabará aos 27. É óbvio que nunca sabemos sobre o dia de amanhã. Talvez amanhã muitos de vocês podem estar lendo isso enquanto outros podem estar no meu funeral. Mas ainda assim, minha vida não acabaria aos 27. Pelo contrário: enquanto a eternidade de muitos só começará depois dos 70 ou 80, a minha eternidade começaria já aos 27.

Que Glória!

Então, não se preocupe com os calendários da terra e as suas pressões. O que tiver que ser seu, será no tempo certo. Tudo o que te falta Cristo suprirá. E juntos faremos parte do “clube dos que tem a vida eterna”.

🙂

Parem de discutir com ateus!


Exatamente, esse é um favor que eu peço a todos os cristãos: parem de discutir com ateus, e com qualquer outra pessoa que tenha uma visão religiosa/filosófica diferente da sua.

Quando, em uma conversa ou até mesmo (principalmente) em um fórum ou página da internet, vemos alguém não apenas expressando sua visão religiosa, mas falando ou postando inverdades ou até mesmo coisas ofensivas a nossa fé, nos sentimos fortemente tentados a desembainhar nossas espadas e sair defendendo o nosso Deus contra tudo e contra todos.

Isso é normal, não apenas cristãos, mas todos fazem isso, principalmente quando o assunto é religião, política… e futebol, rsrs.

Mas nós, cristãos, temos que agir diferente.

Primeiro porque Deus não precisa de defesa. Deus não é uma imagem que pode ser lançada em uma parede e ser quebrada, para que nós tenhamos que defender Sua integridade com unhas-e-dentes. Ele é Deus, e é Ele quem nos defende, e não o contrário. Afinal, quem você pensa que é para se achar forte o suficiente para defender Deus? Não é porque alguém deixa de acreditar em Deus que Ele deixará de ser Deus, não é?

Segundo: provavelmente essa pessoa não desacredita de Deus por ela ser uma “bruxa que merece a inquisição”. Provavelmente essa pessoa foi apresentada a uma falsa ideia de Deus durante a sua vida. Talvez ela tenha sido apresentada a um deus que leva pessoas a um fanatismo inconsequente, talvez ela tenha sido apresentada a um deus carrasco, ou a um deus que está pregado em uma parede, que tem boca mas não fala, tem pernas mas não anda, tem olhos mas não vê… ou a um deus mercenário, que opera na vida das pessoas em troca de parte do salário delas.

Aliás, eu já fui apresentado a essa falso deus mercenário, e eu sei o que se sente nesses casos, deixa eu dividir a minha história com vocês, principalmente com você, ateu, que possa estar lendo esse texto:

Aconteceu em meados de 2006-07, se não me engano, um dos piores anos da minha vida e da minha família: sai da faculdade, problemas financeiros, meu irmão menor gravemente doente, contendas na família, minha mãe enfrentando um divórcio, dívidas e mais dívidas, cobranças e mais cobranças… Um belo dia, eu liguei a tv e dei de cara com um desses “televangelistas” dos sábados de manhã. No programa, estava ele na companhia de um pastor gringo, o pastor americano começou a falar explicar problemas financeiros. Tudo muito coerente, muito embasado biblicamente… Até que veio a surpresa: disse o pastor que se quiséssemos ver a nossa vida financeira restabelecida, o indivíduo deveria doar 1000 reais (!) para o referido pastor. Naquele momento eu pude sentir na pele o que passa uma pessoa que não conhece o verdadeiro Deus, e está com a vida totalmente destruída, e de repente encontra um pastor na tv e acha que vai encontrar consolo… e dá de cara com um falso deus, que precisa do seu dinheiro (você, falido) para fazer algo por você… Tipo aqueles estelionatos onde o suposto “banco” precisa que você pague para eles para que eles liberem o empréstimo…

Mas eu dou graças a Deus que desde 1999 eu já conhecia esse Deus verdadeiro, que não precisa do seu dinheiro para fazer algo por você (na Bíblia, Jesus pedia dinheiro para alguém?). Eu passei aquele dia triste, mas depois disso Deus me restaurou, e hoje graças a Deus passei pela provação: família em paz, meu irmão curado, dívidas pagas, Deus me deu uma vaga em uma das melhores universidades do país…
Mas tenho que entender que uma pessoa que não conhece a Deus de verdade tem todo o direito de se revoltar com esse deus que se prega na televisão.

Direito não, obrigação!

Aliás, PARABÉNS para você ateu, que não aceitou esse deus mercenário, inoperante, carrasco e adepto do fanatismo! Isso significa que a porta do seu coração ainda está aberta para o verdadeiro Deus, que não é o deus da igreja A, B ou C, mas sim o verdadeiro Deus, que você ainda conhecerá.

Mas, voltando ao assunto deste post: ao invés de discutir com um ateu, e tentar provar a existência de Deus por uma discussão boba, porque você não para pra escutar a história de vida dele? Você perceberá que ele não é um ET, ele é humano igual a você, com sentimentos igual a você, com alegrias e decepções igual a você, com qualidades e defeitos igual a você, e merece respeito, igual a você. E você terá a chance de entender o porquê de ele não acreditar em Deus. E aí sim, de uma maneira guiada por Deus, você poderá explicar para ele sobre a nossa fé, e ele poderá escolher entre crer ou não. Sim, escolher. Porque o verdadeiro Deus do qual tanto falo nos dá o direito da liberdade de escolha.

Jamais provaremos a existência de Deus por estudos ou teses científicas, e se você está esperando que Deus se materialize na sua frente para provar a existência dele, desista: isso não vai acontecer.

Na verdade, a Bíblia nos mostra apenas uma maneira de provar a existência de Deus: o amor.

Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor.
Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito.
E vimos, e testificamos que o Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo.
1 João 4:12-14

Quer provar para alguém que Deus existe? Ame essa pessoa. Seja verdadeiramente amigo dela, confidente. Ouça seus lamentos, aconselhe no amor do Senhor, entenda sua história de vida, abrace, perdoe, seja companheiro dela, supra todas as necessidades dela: a necessidade material, a necessidade de uma verdadeira amizade, de companheirismo. Essa é a única forma de mostrarmos ao mundo a existência de Deus.

Que amor há em uma discussão boba, onde só há ofensas e arrogância, por ambas as partes?

Amados, se Deus assim nos amou, também nos devemos amar uns aos outros.
1 João 4:11

PS: Escrevi “ateus” no título do texto, mas serve também para qualquer pessoa que tenha um visão de religião, filosofia ou sexualidade diferente da sua.

Quanto tempo faz que você não congrega?


Talvez você tenha congregado ontem. Talvez faça muuuito tempo que você não congrega… Se é este o seu caso, deixe-me contar meu testemunho:

2013 não foi um ano dos mais “legais” para mim. Congreguei bem menos do que eu costumava e do que eu gostaria. Não porque esmureci na fé, mas sim porque na vida de um trabalhador/universitário o que menos sobra é tempo, e confesso que acabei descuidando um pouco na administração do meu tempo, e acabei congregando bem menos do que gostaria.

2013 também foi um ano não tão legal na minha vida. Não digo que foi um ano ruim ou complicado, afinal ninguém parou na Graça, ficou doente, morreu ou perdeu o emprego na minha casa,o Salmo 23 tem se cumprido por aqui e tenho visto muitas obras, graças a Deus! Mas este foi um ano em que terminei triste, porque alguns dos meus projetos e sonhos não se concretizaram, o emprego não esteve “lá essas coisas”, tive problemas na faculdade… Terminei o ano bem triste, bem abatido.

No final do ano, não realizei nenhuma viagem e não comprei nenhum objeto de desejo… nem mesmo meu celular novo que tanto queria.

Mas esses dias da segunda quinzena de dezembro/primeira quinzena de janeiro foram incríveis! Terminei o ano com algum dinheiro no bolso, e não tive dúvida, atendi o pedido da alma: congreguei quase todos os dias nesse período de férias.

Sem exagero: esses poucos dias mudaram a minha vida!

Ainda sem exagero: não teve um culto nesse período que Deus não tenha falado comigo na Palavra. Sério. A cada culto, reunião de jovens, reunião da mocidade, Deus tratava de uma parte dos meus problemas, me falava algo, respondia alguma pergunta minha, me mostrava onde eu estava errando e como fazer para acertar. Nesses 20 dias, Ele mudou o meu jeito de pensar e encarar as coisas, pude perceber que estava encarando as coisas de maneira errada… e principalmente: não estava dando o devido tempo e importância às coisas de Deus.

Nesse curto período, Deus renovou a minha alma e as minhas forças, me deu ânimo. Hoje eu sou outro, e já comecei a colocar em pratica tudo aquilo que aprendo nesses poucos dias. Estou mais feliz, e prestando mais atenção nas coisas do Céu. Tenho certeza que neste ano farei as coisas diferentes, e nada me faltará, e terei ainda mais comunhão e intimidade com o meu Pai.

Mas isso tudo só aconteceu porque eu congreguei. Se eu tivesse ido viajar, ou ido ao parque da cidade, eu teria ficado sem o alimento do Céu.

E é esse o objetivo desse texto: incentivar você – que há tempos não congrega – a se levantar daí e ir buscar o Pai. É lá que você entregará o seu louvor a Ele. Um louvor lava a alma. Quantas vezes não somos libertos no cantar de um hino? É lá que você ouvirá os testemunhos, e saber que Deus não é inoperante, e Ele está continuamente fazendo obras nas vidas dos seus filhos. E muitos deles até estavam passando pelas mesmas provas que você está passando. É lá que você ouvirá a Palavra, que tem o poder de libertar, repreender o mal, e até mesmo te ensinar, te orientar e te mostrar aonde você está errando na sua vida. É lá que você entrará numa íntima comunhão com Deus, sem interferência de telefone, campainha, tv, internet… Lá é só você e Deus. Ninguém mais.

Não adianta você ficar preso diante desse computador, abraçado ao seu problema. Você precisa de ir ao encontro dAquele que é o único que pode trazer a solução.

Não aceite desculpas para não congregar o mais rápido possível. Eu agradeço a Deus por Ele ter me dado companheiros valentes, e juntos rodamos várias cidades nesses 20 dias servindo a Deus, falando das coisas de Deus, se divertindo e esforçando um ao outro. Mas se você não tem essa mesma sorte, isso não importa. Esse mesmo Deus que está tocando agora no seu coração é o seu e o meu principal companheiro, e se ele está te convidando, então vai. Você não está indo sozinho.

Não interessa se o se cabelo não está tão bonito hoje, se você vai chegar atrasado ou se vai chover… Não deixe que nada te impeça de ir congregar ainda hoje. Afinal, pode ser hoje o dia da tua libertação e o início de uma nova história na tua vida.

Eu digo isso por experiência própria.

  • Você está parado na Graça mesmo? Então temos uma série de textos feitos especialmente pra você. Clique aqui e leia.
  • Acompanhe a gente no Facebook e no Twitter.