O que o teu filho anda escondendo de você?


Já falei sobre isso por aqui, mas para quem não sabe, neste ano fui convidado à participar de uma antologia de poemas: a “M-83 Poesias“. Trata-se de um projeto que estamos empreendendo no Wattpad, envolvendo 17 autores. Em pouco mais de 3 meses de lançamento do livro, já tivemos mais de 12 mil acessos, chegando a figurar no 3° entre os livros de poesia da plataforma. Devido ao sucesso do livro, publicamos um blog do projeto, onde inicialmente, estamos publicando uma série de entrevistas com cada autor.
 
O fato curioso vem agora: muitos dos 17 autores são jovens – na faixa entre 15 e 25 anos -, e a maioria deles, quando perguntado se recebia incentivo da família para investir na carreira de escritor, responderam que seus pais nunca leram, ou sequer sabem dos seus escritos.
 
Particularmente, não sei como classificar essa situação. Não sei se é algo normal da adolescência ter vergonha dos pais, ou se é descuido dos pais a falta de interesse pelos interesses dos filhos, ou então por não criar um ambiente no lar onde os filhos se sintam seguros para expor seus talentos e preferências.
 
Seja lá o que for, isso não é certo. E explico: se adolescentes não se sentem confortáveis para mostrar aos pais algo bom, como um lindo poema que já foi lido 12 mil vezes na internet; quanto mais para falar sobre problemas com envolvimento com drogas, gangues, violência sexual, por exemplo?
 
A pergunta é: o que falta? Será que os pais estão desatentos com relação aos seus filhos? Será que estão preocupados demais com a carreira ou as dívidas? Será que estão mais empenhados em suas crises conjugais do que na vida dos seus pequenos, que estão crescendo? Eu não sei, eu não sou pai, não tenho condições de responder. Mas uma coisa é certa: filhos estão crescendo sem a atenção dos pais. Na série de entrevistas que citei, a maioria desses jovens dizem ter apoio de amigos e namorados(as), ou seja, os “de fora” apoiam incondicionalmente, enquanto os “de dentro” nem sabem do que estão acontecendo.
 
Mais uma vez repito: ainda bem que o apoio é com relação aos seus dons poéticos, e não com relação à filiação ao Estado Islâmico, por exemplo?
 
Além do alerta aos pais que possam estar lendo isso aqui, quero trazer esse assunto à luz da reflexão para nós, jovens que estão namorando, noivando, casando… Talvez seja hora de falar menos sobre “namoro cristão” e pensar mais sobre como será o lar que daremos aos nossos filhos. Você saberá dos talentos, ou dos problemas dos seus filhos? Vocês serão amigos deles o suficiente para que eles se sintam seguros em confidenciar qualquer coisa a vocês? Ou eles terão que recorrer aos “de fora”, que nem sempre sabemos se são “do bem’ ou “do mal”.
 
Época de namoro/noivado também é época de pensar no futuro. Não apenas na casa, mas também no lar que construiremos. Casas – fisicamente falando – custam caro e levam décadas para serem quitadas, mas LARES SEGUROS podem ser construídos até mesmo em barracos de favela, e não custa nada além do empenho de nós, que hoje somos jovens noivos/namorados.
 
 
Anúncios

“SERMÃO PRONTO SOBRE QUEDA DAS MURALHAS”


Para quem não sabe, toda vez que alguém chega ao nosso blog através de uma busca no Google, nós blogueiros, temos acesso às palavras que a pessoa digitou na busca, para saber como ela nos achou. Esta é uma bela ferramenta de SEO (Search Engine Opitimization, blá-blá-blás técnicos que não abordaremos aqui, hehe).

Ao assunto: hoje entrei no painel do blog, e entre as palavras usadas em buscas, a frase abaixo me deixou pasmo:

“SERMÃO PRONTO SOBRE QUEDA DAS MURALHAS”

(Pseudo-pastor, que tem culto na noite de hoje e não fez o dever de casa)

Isso mesmo. Tem gente por aí que nesta noite subirá em um púlpito com um “print de internet”, e o pregará para toda uma igreja, que achará que a pregação é fruto da intimidade que o pastor tem com Deus, mas na verdade, não passará de um post de blog furreco, como o nosso.

Quinto ano no ar, mais de 200 mil visualizações. Me orgulho muito desses anos à frente do Eita Mocidade. Mas, diante daquilo que você pode alcançar direitamente de Deus, em comunhão, com as portas do seu quarto fechadas (Mateus 6), meu blog é FURRECO! Seria como trocar uma tarde à sombra de um pé de manga numa bela e pacífica chácara no interior por suco artificial barato da barraca de churrasco grego no caos paulista, rsrs. (Sou paulista, posso falar mal. Você, não. Hehe :p )

É impressionante a nossa superficialidade espiritual. Como queremos de Deus, mas não O buscamos, não oramos, não o conhecemos. Achamos que o simples fato de ir à igreja (ou de ir a “igreja X”) é suficiente.

Tem muita gente que conhece igreja, conhece religião, mas não conhece Deus! Nunca teve uma experiência sequer com Ele. Pior: tem muito pastor imprimindo página de blog para pregar para igreja.

E a gente reclamava da teologia…

Enfim, hoje é sexta, dia de falar de “namoro cristão” (confesso que esse nome me incomoda, estou vendo um melhorzinho, rsrs) aqui no blog. Estava meio sem inspiração, mas todo esse absurdo me leva a um outro absurdo: queremos alguém para ter intimidade antes de ter intimidade com Deus. Deveria ser o contrário, não acham? Um moço que está pensando em namorar deveria se preocupar em ter o mínimo de condicao espiritual para aconselhar sua futura amada em tempos difíceis, o mesmo digo para as moças. E casamento, então? Acham que é brincadeira? Sem aproximação de Deus, estamos fadado a virar estatística de divórcio, essa é a verdade. Abram os olhos!

Sem contar que Deus deveria ser a nossa prioridade no que diz respeito à relacionamentos…

E ainda: como é gostoso estar com alguém que ama Deus e a sua Palavra, alguém que você possa ler a bíblia junto, se alegrar nas mesmas coisas, ter uma mesma esperança de servir a Deus em vida, e da vida eterna vindoura. Já parou para pensar que o seu futuro esposo (a) está, neste exato momento, orando por alguém assim? E que você, talvez, esteja longe desse padrão?

Imagina, no futuro, seu marido pastor, cooperador, imprimindo página de internet para pregar na igreja domingo à noite? Que horrível, não?

Tá vendo? Precisamos de Deus, gente! Urgentemente!

“O que eu posso fazer para melhorar o seu dia?”: um texto para mudar o seu relacionamento


Por muitos anos, minha esposa e eu brigamos muito. Olhando para trás, não entendo muito bem como foi que nos casamos, nossas personalidades não eram muito compatíveis. Quanto mais tempo ficávamos casados, mais profundas pareciam ser as nossas diferenças. A fortuna e a fama não fizeram a nossa vida mais fácil. Ao contrário, parecia que os problemas foram ficando piores. Nossas brigas se tornaram constantes e era difícil até imaginar uma relação pacífica. Estávamos sempre na defensiva, criando fortalezas emocionais em torno de nossos corações. Estávamos prestes a nos divorciar e repetidamente discutimos o assunto.

Estava numa turnê promovendo o meu livro, quando as coisas chegaram ao extremo. Tivemos outra briga séria pelo telefone e Keri desligou na minha cara. Estava sozinho e me sentia sozinho, frustrado e irritado. Tinha atingido o meu limite. Estava no chuveiro, em Buckhead, Atlanta Ritz-Carlton, gritando que meu casamento fora um grande erro e que eu já não aguentava mais. Odiava a ideia do divórcio, mas seguir assim me machucaria muito. Estava confuso e não conseguia entender por que meu casamento com Keri era tão difícil. No meu coração, sabia que Keri era uma boa pessoa. E eu também era. Então, por que não nos dávamos bem? Por que eu me casei com alguém tão diferente de mim? Por que ela não podia mudar?

No final, rouco e com o coração partido, sentei-me no chuveiro e comecei a chorar. De repente, no fundo do meu ser veio a inspiração. Você não pode mudá-la. Você só pode mudar a si mesmo. No dia seguinte, voltei para casa. Minha esposa mal me cumprimentou. Naquela noite, quando fomos para a cama dormir, os centímetros que nos separavam pareciam quilômetros. Eu sabia que tinha de fazer algo. Na manhã seguinte, perguntei a ela: “O que posso fazer para melhorar o seu dia?”

Ela olhou para mim com raiva: “O que?”

“O que posso fazer para melhorar o seu dia?”

“Nada”, disse ela. “Por que você pergunta?”

Porque eu realmente quero isso», disse. «Eu só quero saber o que eu posso fazer para tornar o seu dia melhor”.

Ela olhou para mim com ironia. “Você quer fazer alguma coisa? Bem, vá limpar a cozinha”.

Certamente pensava que eu ficaria bravo. Em vez disso, apenas assenti. “Ok”. Levantei-me e limpei a cozinha.

No dia seguinte, perguntei a mesma coisa. “O que posso fazer para melhorar o seu dia?”

Limpe a garagem”.

Respirei profundamente. Tive um dia agitado e sabia que ela só disse isso para me irritar. Mas somente disse: “Ok”. Levantei-me e passei duas horas seguidas limpando a garagem. Keri não sabia o que pensar.

Na manhã seguinte perguntei: “O que posso fazer para melhorar o seu dia?”

Nada!”, ela disse. “Você não pode fazer nada. Por favor, pare de perguntar”.

Desculpe”, respondi. “Mas não posso. Fiz uma promessa a mim mesmo. O que posso fazer para melhorar o seu dia?”

Porque você faz isso?”

“Porque eu me importo”, lhe disse. “E eu me preocupo com o nosso casamento”.

Na manhã seguinte, perguntei novamente. E continuei perguntando. Na segunda semana, um milagre aconteceu. Quando fiz a mesma pergunta, os olhos de Keri se encheram de lágrimas. Começou a chorar. Quando conseguiu falar, disse: “Por favor, pare de me perguntar. Você não é o problema. Sou eu. Sou uma pessoa difícil de aguentar. Não sei por que você ainda está comigo”.
Gentilmente levantei seu queixo para que pudesse me olhar nos olhos. “Porque eu amo você», eu disse. “O que posso fazer para melhorar o seu dia?”

Eu é quem devia lhe perguntar isso”.

Certo”, eu disse. “Mas não agora. Agora eu preciso mudar. Quero que você saiba o quanto significa para mim”.

Ela colocou a cabeça no meu peito. “Perdoe-me por me comportar tão mal”.

Eu amo você”, eu disse.

Eu amo você”, respondeu.

O que posso fazer para melhorar o seu dia?”

Ela me olhou com carinho.

Podemos simplesmente sair juntos?”

Sorri, “Adoraria!”.

Continuei perguntando por mais de um mês. E as coisas realmente mudaram. As brigas acabaram. Em seguida, Keri começou a perguntar: “O que eu posso fazer para ser uma boa esposa?”

O muro entre nós caiu, começamos a ter conversas profundas e significativas sobre o que queríamos da vida e como poderíamos nos fazer felizes. Não, nós não resolvemos todos os nossos problemas. Não posso dizer que nunca mais voltamos a brigar. Mas a natureza de nossas discussões mudou. Não só se tornaram menos frequentes, mas também lhes faltava força. Cortamos o seu oxigênio. Paramos de permitir que nos feríssemos.

Estamos há mais de trinta anos casados.

Não só amo minha esposa, mas gosto de estar com ela. Preciso dela. Adoro ela. Muitas das nossas diferenças se tornaram nossos pontos fortes. Aprendemos como cuidar um do outro e, o mais importante, temos vontade disso.

O casamento é difícil. Mas ser pai, fazer exercício, escrever livros e tudo o mais que importa na vida também. Ter uma parceira é um presente significativo. Eu também aprendi que o casamento pode ajudar-nos a aceitar as características que não gostamos em nós.

Com o tempo eu aprendi que a nossa experiência foi uma ilustração de outra lição, ainda maior do que o casamento. A pergunta que todos aqueles que estão em um relacionamento devem fazer a seus parceiros é a seguinte: “O que posso fazer para melhorar a sua vida?” É o amor.

Os romances (escrevi alguns) são sobre o desejo e têm sempre um final feliz, mas esse “final feliz” não vem do desejo. O verdadeiro amor não se trata de desejar a pessoa, mas honestamente desejar que seja feliz, às vezes às custas de nossa própria felicidade. O verdadeiro amor não é conseguir uma cópia de você como companheiro. É expandir nossas habilidades de tolerância e procurar fazer com que seu parceiro se sinta bem. O resto é apenas uma farsa de interesse egoísta.

Eu não quero dizer a minha experiência funcione para todas as relações. Nem dizer que todos os casamentos no mundo devem ser salvos. Mas eu, pessoalmente, sou incrivelmente grato pela inspiração dada a mim naquele dia. Sou grato à vida porque minha família ainda está intacta e ainda tenho a minha esposa, minha melhor amiga na cama todas as manhãs ao acordar. E estou feliz porque, mesmo agora, décadas depois, ainda nos perguntamos: “O que posso fazer para melhorar o seu dia?”. Isso faz com que valha a pena acordar de manhã.

Autor: Richard Paul Evans
Tradução e adaptação: Incrível.club

Conforme visto na página do Daniel Araujo.

Quer namorar? Então comece pela Bíblia…


NAMORO CRISTÃO: Esse, por muito tempo, foi um dos assuntos mais procurados no blog. Afinal, quem, neste mundo, quer ficar só? São poucos, não é? (e isto merece um post mais pra frente, me cobrem!). Mas a maioria “está na luta”, pra não ficar só…

E talvez esse conceito de “estar na luta” seja o que há de pior na nossa concepção de relacionamentos…

Essa ideia de que é preciso “ir a campo, e conquistar o seu amor” parece mais um bandeirante, um descobridor que viaja sete léguas para conquistar uma terra estranha. Conhecemos algumas histórias de sucesso, como as de Colombo, Cabral, Vasco da Gama… Mas imagine só quantas centenas de homens morreram sem conquistar nada, seja por fome, frio, doenças ou atacados por povos estranhos?

E essa “guerra” que muitos vivem na vida amorosa tambem traz duras feridas. Quantos aqui não estão com o coração machucado por causa das desilusões e enganos de amores que não eram reais? Encantar-se, apaixonar-se e não ser correspondido. Ou pior; ser correspondido e se decepcionar com aquela pessoa que você idealizou – por anos, muitas vezes -, e descobriu que não era tudo aquilo.

Ser cristão implica em negar o modo de vida do mundo, e tentar viver sob uma nova perspectiva: a de Cristo. Ser cristão é ter seus olhos abertos e poder questionar tudo aquilo que o mundo considera como intocável e sagrado. Não precisamos viver como o mundo vive. Temos uma biblia, e podemos comparar seus padrões com os padrões pregados no mundo, e julgar qual deles melhor serve para nós.

Podemos olhar para uma Ester, que não se produziu e nem se despiu para conquistar o rei, e por isso mesmo chamou a atenção dele. Podemos olhar para uma Rute, que antes de se preocupar com a sua vida sentimental, preocupou-se em fazer o que era correto, e não jogou seus padrões de fidelidade no lixo por causa de um amor. Podemos olhar para uma Rebeca gentil e prestativa, e para um Isaque obediente aos pais. Podemos também olhar para um Sansão insaciável cujo sucesso subiu a cabeça, ou para um Salomão que jogou seus padrões no lixo, e colocou sua mulher a frente de seu Deus.

A bíblia tem bons e maus exemplos, e suas consequências. Podemos comparar esses exemplos com os que nós conhecemos ao nosso redor, e até mesmo com as nossas experiências passadas. Antes de iniciar uma relacionamento, faça uma análise, uma autocrítica: o que você está fazendo e pensando? Suas atitudes e conceitos e expectativas estão de acordo com a Palavra? Será que não é hora de rever algumas coisas?

Enfim, se você quer namorar, é bom você começar pela bíblia. 

Posts sobre Namoro Cristão devem aparecer todas as sextas aqui no blog. Orem para que Deus ajude nessa parte. 🙂

Um texto sobre ser homem


A MASCULINIDADE. Tão louvada, desde sempre. Desde que Deus disse à Adão que seria ele o responsável por caçar e pescar, homens se sentem homens ao voltar para casa com o boi que ele mesmo matou, e o peixe que ele mesmo pescou. Assim, eles se sentem poderosos como o macho alfa do bando, que prova sua masculinidade e cada feito, a cada captura, a cada conquista.

Desde então, homens praticam coisas de homens para se sentir como homens. E a cada gota de testosterona investida em cada atividade masculina – seja um torneio de justas na idade média ou um racha numa avenida qualquer de São Paulo – nos sentimos cada vez mais homens. É como uma necessidade, um círculo vicioso da macheza. Porque homem de verdade é destemido, não tem medo do perigo, de nada e de ninguém! Não é assim que se ensina? Continue lendo “Um texto sobre ser homem”

Quando se fala em virgindade…


QUANDO SE FALA EM VIRGINDADE, LOGO PENSAMOS EM SEXO, e como prezamos por essa pureza! E glória a Deus por isso. Está certissimo! Isso é bíblico!

Mas, você já parou para pensar que talvez nem todo o virgem é puro?

Para você entender onde estou querendo chegar, primeiramente temos que pensar no que significa virgindade. É mais do que não ter relações sexuais. Bem mais que isso.

Algo “virgem” é algo que nunca foi usado, danificado, manchado, rasurado, avariado. É algo novo.

Tudo o que é novo é mais caro. Carros, por exemplo. É notória a diferença entre um carro zero, com aquele cheirinho de novo, mecânica perfeita, peças novinhas, sem um arranhão; e um carro usado, que por mais conservado, vem com um amassadinho aqui, um arranhaozinho ali, uma engrenagem velha que vai dar defeito logo, um rasgadinho no banco… Continue lendo “Quando se fala em virgindade…”

Blogueiros também namoram…


É MUITO FÁCIL ESCREVER SOBRE “NAMORO CRISTÃO”, ATÉ O DIA EM QUE VOCÊ COMEÇA A NAMORAR… Verdade! Digo isso por experiência própria! Até porque todos nós sabemos basicamente o que é certo e errado em relacionamentos. Nós conhecemos a “receita de bolo”.

Mas a vida não é uma receita de bolo, amigos..rsrs.

É difícil aplicar na prática o viver a dois. O “amar” é bem mais amplo do que as músicas sertanejas pregam. Você passa de fato a viver e se preocupar com alguém, como nunca antes. Sentir as mesmas dores, chorar os mesmos choros.. E também dar glória a Deus em alta voz pelas mesmas vitórias! E como isso é bom! É a melhor coisa do viver a dois, ainda que esse “viver” seja apenas um namoro, ainda.

Descobri que é fácil perguntar “quando vai sair o bolo?”, ou até julgar quem tá demorando quando não é você que tem o desejo imenso de se casar com quem você ama, mas vê um muro de falta de condições que só a fé em Deus pode ajudar a transpor. Assim como é fácil “pregar santidade” quando você não está sendo constantemente tentado pelas vontades do seu próprio corpo… Não só do seu, na verdade.. Assim é na vida de jovens com funções biológicas saudáveis..rsrs.

Enfim, tudo isso é fácil de se falar e de se pregar, escrever, postar, e até julgar. Difícil é viver na prática. Aquilo que hoje chamamos de namoro, é o início da vida a dois, o início do amor, o início do companheirismo, o início de sentir as mesmas dores e alegrias.

É o início de uma nova família.

Falamos sobre namoro aqui na página e no blog. A bíblia tem conselhos gloriosos para todos nós. Na verdade, postei bem menos sobre esse tema nesse ano. Foi um ano de viver e refletir sobre experiências.

Para terminar, primeiramente agradeço muito a Deus pela minha namorada, futura esposa, a Sâmia, minha companheira em todas as horas, e minha leitora número um (o que é um peso terrível, pois se o “Bruno do Eita Mocidade” escreve coisas bonitas, é graças ao Espírito Santo de Deus, porque o Bruno não tem nada de especial, e é apenas mais um tentando seguir os conselhos que escreve, nem sempre com sucesso…).

E também quero terminar esse texto pedindo a todos algo sério: oração. Orem por todos os jovens que estão namorando, noivando, casando… Ore para que eles encontrem a guia de Deus nisso tudo, e que Deus os sustente em santidade, verdade, fidelidade, amor, cumplicidade… Que cada namoro seja o início de uma família, de uma história linda, escrita por Deus. Se você perceber algum casal mais fraco, não julgue, ore.

A oração de um justo pode muito em seus efeitos. Foi Tiago quem disse isso, não foi?

Publicado do WordPress para Android