“Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor. Porque não é aprovado quem recomenda a si mesmo, e sim aquele que o Senhor recomenda.”
(2 Coríntios 10:17‭-‬18 NA17)

Estas palavras foram ditas por Paulo à igreja de Corinto, em resposta aos supostos apóstolos que tentavam a igreja com suas “obras”.

Diferentes de muitos que se diziam ministros do evangelho, Paulo tinha uma aparência humilde, a ponto de duvidarem que o “frágil” Paulo fosse o mesmo das cartas tão contundentes.

Pelo que entendemos, Paulo seguia o caminho da humildade. Não vivia de autopromoção. Paulo não seria o televangelista que transpira poder por trás de uma câmera. Não viveria de tentar demonstrar poder realizando milagres em público. Paulo não mandaria gravar um filme, e não tentaria espalhar pela mídia que este teria sido um sucesso de bilheteria.

Pelo contrário: “Não é aprovado quem a si mesmo recomenda, e sim aquele quem o Senhor recomenda”. Em outro trecho Paulo dizia que “nós somos as cartas de Cristo”. Ou seja, ele, como apóstolo, não precisava de marketing, pois a própria obra redentora de Cristo na igreja recomendava não a ele, mas ao próprio Cristo.

Em dias onde pregadores e igrejas recomendam a si mesmo, apelam para as estratégias de mercado para mostrarem seu “poder”, a Segunda Epistola aos Coríntios é uma leitura das mais atuais e esclarecedoras. Tente lê-la, comparando com as ações de igrejas e líderes de hoje é você verá Deus esclarecendo muitas coisas ao seu coração.

Anúncios