Já falei sobre isso por aqui, mas para quem não sabe, neste ano fui convidado à participar de uma antologia de poemas: a “M-83 Poesias“. Trata-se de um projeto que estamos empreendendo no Wattpad, envolvendo 17 autores. Em pouco mais de 3 meses de lançamento do livro, já tivemos mais de 12 mil acessos, chegando a figurar no 3° entre os livros de poesia da plataforma. Devido ao sucesso do livro, publicamos um blog do projeto, onde inicialmente, estamos publicando uma série de entrevistas com cada autor.
 
O fato curioso vem agora: muitos dos 17 autores são jovens – na faixa entre 15 e 25 anos -, e a maioria deles, quando perguntado se recebia incentivo da família para investir na carreira de escritor, responderam que seus pais nunca leram, ou sequer sabem dos seus escritos.
 
Particularmente, não sei como classificar essa situação. Não sei se é algo normal da adolescência ter vergonha dos pais, ou se é descuido dos pais a falta de interesse pelos interesses dos filhos, ou então por não criar um ambiente no lar onde os filhos se sintam seguros para expor seus talentos e preferências.
 
Seja lá o que for, isso não é certo. E explico: se adolescentes não se sentem confortáveis para mostrar aos pais algo bom, como um lindo poema que já foi lido 12 mil vezes na internet; quanto mais para falar sobre problemas com envolvimento com drogas, gangues, violência sexual, por exemplo?
 
A pergunta é: o que falta? Será que os pais estão desatentos com relação aos seus filhos? Será que estão preocupados demais com a carreira ou as dívidas? Será que estão mais empenhados em suas crises conjugais do que na vida dos seus pequenos, que estão crescendo? Eu não sei, eu não sou pai, não tenho condições de responder. Mas uma coisa é certa: filhos estão crescendo sem a atenção dos pais. Na série de entrevistas que citei, a maioria desses jovens dizem ter apoio de amigos e namorados(as), ou seja, os “de fora” apoiam incondicionalmente, enquanto os “de dentro” nem sabem do que estão acontecendo.
 
Mais uma vez repito: ainda bem que o apoio é com relação aos seus dons poéticos, e não com relação à filiação ao Estado Islâmico, por exemplo?
 
Além do alerta aos pais que possam estar lendo isso aqui, quero trazer esse assunto à luz da reflexão para nós, jovens que estão namorando, noivando, casando… Talvez seja hora de falar menos sobre “namoro cristão” e pensar mais sobre como será o lar que daremos aos nossos filhos. Você saberá dos talentos, ou dos problemas dos seus filhos? Vocês serão amigos deles o suficiente para que eles se sintam seguros em confidenciar qualquer coisa a vocês? Ou eles terão que recorrer aos “de fora”, que nem sempre sabemos se são “do bem’ ou “do mal”.
 
Época de namoro/noivado também é época de pensar no futuro. Não apenas na casa, mas também no lar que construiremos. Casas – fisicamente falando – custam caro e levam décadas para serem quitadas, mas LARES SEGUROS podem ser construídos até mesmo em barracos de favela, e não custa nada além do empenho de nós, que hoje somos jovens noivos/namorados.
 
 
Anúncios