“O poder de Deus se aperfeiçoa na nossa fraqueza”

“O PODER DE DEUS SE APERFEIÇOA NA NOSSA FRAQUEZA”, assim disse Paulo, que conseguia glorificar a Deus pelas provas…

Glorificar a Deus pelas provas, pelas fraquezas, pelas imperfeições… Difícil, não?

Não se sabe o que é  escuridão, até o dia em que alguém lhe mostra a luz. E então, você toma ciência do certo e do errado, e se acha em condições de tomar as decisões certas, controlar seus impulsos…

Ledo engano.

Você continua tão fraco quanto sempre foi. Sujeito aos mesmos erros. A diferença agora é que há uma luz que contrasta com toda a escuridão que ainda habita em você. E então você se da conta de quantos becos escuros ainda há, quantas vielas mal iluminadas… Quem te olha naquelas “roupas de crente”, acha que você é um condomínio limpo, bem organizado, arborizado…

Mas apenas Deus e você sabe que não é bem assim. Deus, você, sua esposa, namorada, mãe…

Da mesma forma nos aproximamos de pessoas esperando delas um padrão de perfeição, que é destruído assim que os relacionamentos vão se tornando mais próximos. Definitivamente não há ninguém perfeito. Não há ninguém justo.

Há os justificados.

Repare que os justificados não são justificados por si mesmos. Por isso, não são chamados de “justos”, afinal de contas, eles não são. Eles são justificada porque alguém resolveu limpar a ficha deles. Assumir a pena, pagar pelos crimes.

Alguém resolveu ir para cruz para que estes não fossem. De graça, sem cobrar nada por isso.

Essa é a Graça da qual tanto se fala. Um favor de alguém que tinha a ficha limpa, e quis troca-la pela nossa ficha suja, para que mesmo fracos, pudéssemos ser liberto da pena que nos foi imposta.

Pela Graça somos livres!

Mas o que confirma que vivemos na Graça? Pois nem todos a receberam…

A fé. Este é o nosso comprovante. Olhe para a pessoa. Se ela CRER na Graça, é porque ela viva na Graça.

Mas… O que é crer? Será que fé é apenas um pensamento positivo? Um sentimento de que tudo vai dar certo? Será que é apenas ritos, práticas, tradições religiões?

Não. Crer é praticar. Quem tem fé, faz. A fé sem obras é morta. Não adianta crer na colheita, tem que plantar, senão não haverá o que colher. Quem crê na Graça, vive na Graça, prática a Graça. Oferece aos demais aquilo que lhe foi oferecido: favor, perdão, redenção.

Mas é aqui que o nó acontece. Como oferecer Graça se ainda há tanta escuridão em nós? Nem sempre conseguimos cumprir as palavras do Livro, nem sempre pensamos primeiro no próximo, muitas vezes amamos a nos mesmos e pronto, e defendemos o que é nosso, e praticamos o cada um por si.

E então o milagre acontece: aquele que nos ofereceu a Graça vem ao nosso encontro, e nos oferece de novo. A segunda chance da segunda chance, o setenta vezes sete. Como aquela professora amorosa que explica a lição quantas vezes for necessário. A Graça é infinita. E é por isso que Paulo disse que “a graça nos basta”. É por isso que o poder Divino se aperfeiçoa na nossa fraqueza. Quando reconhecemos escuridão em nós, abrimos espaço para Jesus, o dono de toda a luz, para que Ele nos ilumine, de Graça.

Pensando aqui em quantas vezes falhei com Ele, e mesmo assim Ele me abraçou. Que coisa! Como Ele crê em mim! A fé que Jesus tem em mim é maior do que a fé que eu tenho nEle. Isso é fato.

Publicado do WordPress para Android

Anúncios

E você? O que pensa sobre o assunto? Comente abaixo e enriqueça a discussão!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s