Aos Evangelicos, capitulo 7: Será que merecemos mais por “trabalharmos mais” que os outros na Obra de Deus?

“Jesus disse:

— O Reino do Céu é como o dono de uma plantação de uvas que saiu de manhã bem cedo para contratar trabalhadores para a sua plantação. Ele combinou com eles o salário de costume, isto é, uma moeda de prata por dia, e mandou que fossem trabalhar na sua plantação. Às nove horas, saiu outra vez, foi até a praça do mercado e viu ali alguns homens que não estavam fazendo nada.

Então disse: “Vão vocês também trabalhar na minha plantação de uvas, e eu pagarei o que for justo.”  — E eles foram.

Ao meio-dia e às três horas da tarde o dono da plantação fez a mesma coisa com outros trabalhadores. Eram quase cinco horas da tarde quando ele voltou à praça. Viu outros homens que ainda estavam ali e perguntou:

“Por que vocês estão o dia todo aqui sem fazer nada?” 

“É porque ninguém nos contratou!” — responderam eles.

Então ele disse: “Vão vocês também trabalhar na minha plantação.”

No fim do dia, ele disse ao administrador: “Chame os trabalhadores e faça o pagamento, começando com os que foram contratados por último e terminando pelos primeiros.” 

Os homens que começaram a trabalhar às cinco horas da tarde receberam uma moeda de prata cada um. Então os primeiros que tinham sido contratados pensaram que iam receber mais; porém eles também receberam uma moeda de prata cada um. Pegaram o dinheiro e começaram a resmungar contra o patrão, dizendo: “Estes homens que foram contratados por último trabalharam somente uma hora, mas nós aguentamos o dia todo debaixo deste sol quente. No entanto, o pagamento deles foi igual ao nosso!” 

Aí o dono disse a um deles: “Escute, amigo! Eu não fui injusto com você. Você não concordou em trabalhar o dia todo por uma moeda de prata? Pegue o seu pagamento e vá embora. Pois eu quero dar a este homem, que foi contratado por último, o mesmo que dei a você. Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com o meu próprio dinheiro? Ou você está com inveja somente porque fui bom para ele?” 

E Jesus terminou, dizendo: — Assim, aqueles que são os primeiros serão os últimos, e os últimos serão os primeiros.
(Mateus 20:1-16 NTLH)”

*****

Nosso senso humano de justiça pelo mérito se retorce dentro de nós quando lemos esses versos de Mateus 20. Nos aprendemos com esse mundo que a atitude do dono da vinha foi sim injusta, porque aqueles que foram chamados primeiro MERECERIAM mais porque trabalharam mais. Mas aí vem Jesus, ensina tudo diferente e afirma que o Seu jeito é o certo, e que o dono da vinha está certissimo em pagar o mesmo valor a todos, independente de quantas horas cada um trabalhou.

Não, Jesus não veio ensinar o socialismo, rsrs… (Sempre tem aqueles que tentam enxergar esse texto por um viés político…). Jesus veio ensinar a GRAÇA. O favor imerecido.

Imagina que nessa história, o trabalhador que labutou apenas uma hora também tinha família, e estava desempregado, e não teria como levar o leite para seus filhos. Ainda que ele trabalhasse apenas uma hora, não valeria a pena, pois, com uma hora de salário, o que dá pra comprar?

Mas, o patrão se compadece da situação desse trabalhador, e mesmo que ele não merecesse, o patrão resolve num ato de bondade, pagar uma diária inteira para esse trabalhador, para que ele possa comprar o leite das crianças. O patrão caridoso, num ato de GRAÇA, supre a necessidade de uma família carente.

Essa parábola é sobre GRAÇA. Sobre favor imerecido.

Aquele que tem mais tempo de crente, ou trabalha mais na obra, ou prega, canta, toca, escreve… Esse não receberá uma porção maior do que aquele que serve em fraqueza, no pouco entendimento. Imagina aqueles que servem a Deus em enfermidades, depressões… Por acaso esses merecem uma porção menor no reino dos céus porque eles trabalham menos que os grandes missionários que cruzam mundo pregando a Palavra? E aqueles que só creram na velhice? Merecem porção menor do que aqueles que servem a Deus desde crianças? E aqueles praticantes fiéis da doutrina? Merecem mais do que aqueles que ainda não alcançaram o mesmo entendimento?

Não faça nada na obra de Deus achando que você merecerá receber bônus por isso. Não faça como o irmão do filho pródigo, que se achava merecedor só porque não tinha gastado o dinheiro do pai com as prostitutas. A porção do servo mais fraquinho não será menor que a porção do grande apóstolo Paulo.

O nosso Senhor, o “dono da vinha”, distribuirá a mesma porção de GRAÇA, misericórdia e salvação a todos. Não faça nada querendo se achar o maior do reino dos céus. Entenda a Graça, a aceite e viva nela, contente, sabendo que por mais que você faça, sempre será um servo inútil, pois não fez nada além da sua obrigação.

E você, fraco, que vive a tropeçar, e a você que muitas das vezes não serve a Deus como gostaria por conta das dificuldades e enfermidades: ANIMEM-SE! A Graça de Deus chegará sem medidas para vocês também. A Graça não é conquistada com obras, porque se fosse assim não seria Graça, e sim recompensa. A Graça de Deus é alcançada pela fé em Jesus, somente.
Nossas obras apenas testemunham para mundo sobre o nosso Salvador.

Sirva a Deus com alegria, na porção que Deus te deu! Teu galardão, pela Graça, te espera lá nos céus! 🙂

Anúncios

E você? O que pensa sobre o assunto? Comente abaixo e enriqueça a discussão!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s