OUTRO CONSELHO DE PAULO A TIMÓTEO. “Ensine e recomende estas coisas: Se alguém ensina alguma DOUTRINA DIFERENTE e não concorda com as verdadeiras palavras do nosso Senhor Jesus Cristo e com os ensinamentos da nossa religião, essa pessoa está cheia de orgulho e não sabe nada.
Discutir e brigar a respeito de palavras é como uma doença nessas pessoas. E daí vêm invejas, brigas, insultos, desconfianças maldosas e discussões sem fim, como costumam fazer as pessoas que perderam o juízo e não têm mais a verdade. ESSA GENTE PENSA QUE RELIGIÃO É UM MEIO DE ENRIQUECER. É claro que a religião é uma fonte de muita riqueza, mas só para a pessoa que se contenta com o que tem.

O que foi que trouxemos para o mundo? Nada! E o que é que vamos levar do mundo? Nada!

Portanto, SE TEMOS COMIDA E ROUPAS, FIQUEMOS CONTENTES COM ISSO. Porém os que querem ficar ricos caem em pecado, ao serem tentados, e ficam presos na armadilha de muitos desejos tolos, que fazem mal e levam as pessoas a se afundarem na desgraça e na destruição. Pois O AMOR AO DINHEIRO É UMA FONTE DE TODOS OS TIPOS DE MALES. E algumas pessoas, por quererem tanto ter dinheiro, se desviaram da fé e encheram a sua vida de sofrimentos.

Mas você, homem de Deus, FUJA DE TUDO ISSO. Viva uma vida correta, de dedicação a Deus, de fé, de amor, de perseverança e de respeito pelos outros. Corra a boa corrida da fé e ganhe a vida eterna. Pois foi para essa vida que Deus o chamou quando você deu o seu belo testemunho de fé na presença de muitas testemunhas.”

***

Esse é outro trecho da primeira carta de Paulo à Timóteo, no capítulo 6, versos 3 ao 12. (Possivelmente você encontrará na sua bíblia um texto que trata do mesmo assunto, com um mesmo sentido, mas com algumas palavras diferentes. Isso porque esse texto está na tradução mais recente da bíblia, a Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH), uma versão com palavras simples, atuais e de fácil entendimento. Recomendo para você que está começando agora a ler a bíblia.)

Voltando ao assunto: Paulo mais uma vez aconselha a Timóteo e demonstra preocupação com aqueles que pregam uma falsa doutrina em troca de dinheiro fácil. Gente que vê na religião um meio de enriquecer.

Parece até o que vemos nos dias de hoje, não é? Pois é, tudo isso já existia há 2 mil anos, e já preocupava o apostolo Paulo, que levou a palavra a diversos lugares do mundo e nunca usou isso como motivo para acumular riquezas.

O próprio Paulo dizia que “o amor ao dinheiro é a fonte de todos os males”. Já tratamos sobre isso aqui em outro texto , e já conversamos sobre os males que uma sociedade consumista está causando a si mesma, e até como o nosso relacionamento com Deus está sendo prejudicado por esse amor ao dinheiro.

Outro mal causado pelo amor ao dinheiro é esse: gente usando o nome de Jesus para criar falsas doutrinas em nome do lucro. Na verdade isso sempre existiu: nos tempos de Paulo, na idade média marcada pelos desmandos da igreja católica em nome de dinheiro e hoje em dia onde muitas pregações pregam muito mais o conceito terreno de “sucesso” do que a salvação da alma pela fé em Jesus.

Bem, o conselho para todos nós é o mesmo conselho que Paulo deu a Timóteo: fuja de tudo isso! Fuja não apenas das doutrinas em si, mas fuja também da ideia de encarar o Evangelho como forma de ganhar dinheiro. Pois não são apenas “pastores mercenários” que pensam assim, mas também nós quando começamos a achar que o enriquecimento e o bem estar material é uma promessa bíblica e que é tão ou mais importante do que a salvação da alma.

O Evangelho não é uma doutrina de enriquecimento!

Leia os quatro evangelhos. Você não encontrará nenhuma citação de Jesus prometendo acumulo de riquezas materiais. Em Mateus 6:33, Jesus promete acrescentar o suprimento das necessidades daqueles que buscarem seu reino e justiça. É isso. É simples assim.

Mas, e em trechos como Deuteronômio 28? (Bendito sejas no campo, bendito sejas na cidade…)

Aquela foi uma promessa de Deus para suprir a necessidade de um povo, de uma nação. Não tem nada a ver com o conceito de acumulo de riquezas pregado pelo mundo (e por algumas igrejas, infelizmente) atualmente. Se voltarmos aos Evangelhos, veremos Jesus dizendo que devemos ajuntar tesouros nos céus, onde os ladrões não roubam (Mateus 6:19-20). No episódio do “mancebo rico” (Mateus 19: 16-30), Jesus comenta que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar nos céus, isso por causa da fácil tendência que temos em amar o nosso dinheiro.

Então ser rico é pecado?

Obvio que não. A bíblia conta história de muitas pessoas ricas e fiéis a Deus, como Jacó, depois de ser abençoado por Deus; e Jó, uma das histórias mais famosas das escrituras. Mas o que essas histórias tem em comum? Tanto Jacó como Jó, apesar de ricos, não tinham amor ao dinheiro. Jacó não hesitou em dividir tudo o que tinha com seu irmão Esaú, e Jó perdeu simplesmente tudo o que tinha, mas não negou ao Senhor.

Riquezas podem alcançar nossas vidas como fruto de heranças, ou bons anos de trabalho principalmente em negócios próprios, ou então anos de estudo e uma boa formação. Desfrutar disso não é pecado. Mas não devemos deixar o desejo pelas riquezas sufocar a nossa vida e o nosso serviço a Deus. Não devemos enxergar a palavra de Deus apenas como um meio de sermos abençoados financeiramente. E muito menos adulterar a palavra de Deus tendo em vista o lucro.

Mas a verdade é que, como dizia Salomão em Eclesiastes, riqueza material não passa vaidade e aflição de espírito. Correr atrás disso é como correr atrás do vento. Depois da sua morte, quem herdará toda a sua riqueza? Esta pessoa será sábia o suficiente para cuidar dos seus anos de esforço, ou destruirá tudo isso em segundos? (Eclesiastes 2:18:19). E é melhor é ter uma porção suficiente em paz do que ter riquezas as custas de aflições de espírito. (Eclesiastes 4:6). E tem aqueles que se preocupam demais em juntar dinheiro, empreender, estudar, e esquecem de que não podem viver sozinhos. Será que riqueza é só dinheiro? Não há riqueza maior que a companhia de pessoas que te amam e te ajudam. Sim, estou falando em casar-se, formar família… (Eclesiastes 4:8-12). E essa corrida se torna um circulo vicioso: quem ama o dinheiro nunca se farta dele. Quanto mais tem, mais quer. (Eclesiastes 5:10, 6:7). E basta qualquer má aventura e toda a sua riqueza se vai por água abaixo (Eclesiastes 5:13-14). Bom mesmo é “lançar teu pão sobre as águas”, e “repartir até com oito” se for preciso, pois não sabemos “que mal haverá sobre a terra”. (Eclesiastes 11:1-2).

“Ajuntemos um tesouro eterno onde habita o nosso Deus superno.
Nos céus os bens jamais se acabarão.”

(Hino 445: Ajuntemos um tesouro eterno. Hinos de Louvores e Súplicas a Deus. Livro n° 5)

Anúncios