Bem, a primeira resposta que vem as nossas cabeças certamente é algo do tipo “servindo a Deus”, “sendo honesto”, ou “não entrando na ‘roda dos escarnecedores”… enfim, coisas do tipo.

Mas eu quero ir além. Quero saber o que mais podemos fazer para de fato brilharmos como luz para este mundo de trevas. Não apenas brilharmos pelos nossos próprios méritos como qualquer um que corre atrás da fama, mas brilhar a luz de Cristo, de maneira que possamos ser reconhecidos não só pelo que fazemos, mas também pelo Deus que servimos.

Eu não sei se vou conseguir explicar o que está passando na minha cabeça, mas vamos lá! Vou tentar.

Me incomoda, por exemplo, ver como os crentes normalmente são tratados pelo mundo como uma sub-classe. E isso não acontece por causa da nossa fé – se fosse, seria o cumprimento da Palavra, glória a Deus! – mas sim por sermos subestimados pelo “mundo”.

Muitas pessoas mundo afora consideram o cristão como “bobinho”, enganado, alienado… “Eles não estudam”, “eles não entendem”, “por isso eles são dominados por uma religião…”. Não é assim que dizem por aí?

É óbvio que isso é uma mentira! Eu sei.

Temos servos e servas de Deus aos montes nas faculdades mundo afora, crentes empresários, juízes, advogados, enfim… Não somos o povo “alienado e sem instrução” como muitos pensam.

Mas, o que tem me preocupado (e o que deve preocupar a todos nós) é querermos fazer tudo o que fazemos com zelo. Não simplesmente por dinheiro, reconhecimento e fama, mas sim para glorificarmos a Deus com aquilo que fazemos.

É algo lindo ouvir alguém dizer,por exemplo, que o melhor e o mais atencioso médico da sua cidade é um servo de Deus. O louvor não está indo para o profissional, mas para Deus. E isso não se estende apenas às profissões “acadêmicas”, mas serve para todos. Quando alguém afirma que a melhor e mais caprichosa costureira do bairro é a irmã Fulana, esse louvor está indo diretamente para Deus.

Isso também é ser a “luz do mundo”, como Jesus disse.

Até porque, quando o contrário acontece, a pessoa está envergonhando e manchando o nome de Deus.

É com uma grande tristeza no coração que digo que o pior pedreiro e o pior mecânico que já contratei eram crentes. (Tenho lembranças horríveis sobre esses episódios).

Imagina só alguém dizendo: “Olha o que aquele crente fez com o meu carro! Ele me enganou!”. Ou então: “aquela irmãzinha com a saia até os pés só chega atrasada, falta toda a semana, não faz o serviço direito!”

Se somos crentes reconhecidos pelos maus serviços que prestamos às pessoas deste mundo, será que estamos agradando a Deus?

Se Deus manda servimos ao nosso próximo, será que não deveríamos fazer isso com excelência, ainda mais quando isso envolve dinheiro, contratos?

Entenderam? É disso que eu estou falando: ser “luz do mundo” não é apenas colocar uma pastinha embaixo do braço e sair desfilando no bairro todos os domingos. Se você faz isso, mas não tem a fama de ser uma pessoa zelosa e honesta… sinto muito, você está envergonhando o nome de Cristo.

Para terminar, todo o trabalho honesto é digno. Não existe diferença entre o bom pedreiro e o bom gerente de multinacional (exceto as salariais, rsrs). Mas fico extremamente feliz em ver que na minha pequena comum congregação (150 tomam santa ceia), por exemplo, temos pelo menos 6 na faculdade, se não estiver esquecendo de ninguém.

Lembrando que estamos em bairro de periferia, em uma cidade de periferia. OU seja, quando há a vontade de louvar a Deus com o dom profissional que Deus deu, Ele abre as portas e prova que é a nossa Condição. Eu sou prova viva disso, um dia eu conto meu testemunho aqui.

E eu ainda sonho em ver muitos servos de Deus médicos e professores, para louvar a Deus cuidando bem da população. Sonho em ver muitos servos de Deus empresários, diretores, gerentes, para louvar a Deus mostrando honestidade, cumprindo contratos. E sonho em ver muitos servos de Deus engenheiros, cientistas, programadores para louvar a Deus inventando ferramentas que ajudam o dia-a-dia de todos, enfim, que isso se estenda para todas as profissões!

Inclusive padeiros que louvam a Deus fazendo com carinho o melhor pão, pedreiros que louvam a Deus construindo com competência, faxineiros que louvam a Deus com a melhor limpeza… E assim vai!

E porque não servos de Deus escritores, artistas plásticos, filósofos, sociólogos… Para louvar a Deus provando ao mundo que não é necessário deixar de crer em Deus para ser intelectual.

Porque isso TAMBÉM é ser Luz do Mundo.

 


Deus abençoe a todos! E pense nisso na próxima vez que for “bater o cartão” na firma,. ok?


“Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo;
Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus;
Servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens.” – Efésios 6:5-7

Anúncios