Antes de mais nada, responda: Por que você começa um namoro?

Por estar carente? Porque faz tempo que você não beija ninguém? Porque todos estão namorando e você também precisa namorar? Porque você quer um compromisso sério?

Mas, você realmente quer um compromisso sério? Realmente tem ideia do que significa a palavra compromisso? Entende que um dia esse namoro vai evoluir e exigir um próximo passo? E a outra pessoa? Você tem certeza de que ela entende tudo isso?

E se não der certo? E se a outra pessoa não firmar um compromisso com você? E se ela brincar com os seus sentimentos? E se ela te afastar de Deus? Como será? Como você ficará?

Obviamente, muitas pessoas não buscam respostas para essas perguntas antes de iniciar um namoro. Até mesmo porque é muito difícil raciocinar tanto quanto se está sob o “efeito alucinógeno” da paixão. Sendo assim, quando entramos em um namoro sem a guia de Deus, corremos o risco de: 1) mergulharmos de cabeça sem ao menos saber se a represa é funda ou se há uma pedra logo ali; 2) fazer de conta que assumimos um compromisso quando na verdade só queremos suprir nossas carências e necessidades as custas da saúde emocional e até espiritual de outra pessoa.

É por isso que vemos ao nosso redor tanta gente “quebrada” por namoros. Pessoas que saem de uma relação traumática abalada emocionalmente e espiritualmente. Quantos vocês conhecem que abandonaram a Graça após um namoro desastroso? Eu poderia citar alguns casos de pessoas que eu conheço aqui. E tenho certeza de que você também.

Essa conversa me faz lembrar dos depoimentos dos nossos avós, e dos anciães nas reuniões da mocidade: “Nos meus tempos, o pai da moça nos dizia: ‘Crente não namora, se prepara para o casamento!”. Infelizmente os tempos mudaram, e hoje alguns crentes namoram, ficam, dão uns beijinhos e sabe-se-lá-mais-o-quê eles fazem.

Alguns, lógico. Não estou generalizando.

Eu sempre concordei que não precisaria iniciar um namoro se não estivesse disposto a assumir um casamento. Desde muito cedo, nunca concordei com o ‘ficar’ e com namoros levianos. Mas eu mesmo não tinha fundamentos para sustentar isso. Volta-e-meia eu estava envolvido em conflitos sobre a minha posição, quando não em “paixonites platônicas” que roubaram mais tempo da minha vida do que eu gostaria, e talvez tenham me feito tão mal quanto se eu estivesse me envolvido em namoros.

Mas, no ano passado eu encontrei um livro que muito me ajudou. Me ajudou a firmar meus conceitos e eliminar de vez as dúvidas que não me deixavam firmar o pé no chão firme da Graça.

"Eu Disse Adeus ao Namoro", de Joshua Harris
“Eu Disse Adeus ao Namoro”, de Joshua Harris

O livro “Eu Disse Adeus Ao Namoro”, de Joshua Harris, trás questionamentos sobre o namoro, como enxergamos ele hoje: Namoros inundados de sentimentos egoístas, onde o corpo e até mesmo o sexo vale mais do que o “conhecer a outra pessoa”. Namoros que se iniciam pela necessidade de suprir carências, ou pela necessidade de status diante dos amigos ou simplesmente incentivados pela cultura sexista que vivemos no mundo de hoje. Até onde os nossos namoros estão refletindo o amor de Cristo para o mundo? Será que os nossos namoros agradam a Deus?

Sim, talvez o seu namoro esteja suprindo a suas carências, e as carências do seu(a) parceiro(a), mas você já parou pra perguntar o que Deus acha do seu namoro?

Isso porque nem falei do “ficar”…

O livro comenta como esses namoros estão destruindo a vida de jovens, inclusive a vida espiritual. E tudo sob a luz da Palavra. O legal que ele (o escritor) comenta, comenta e sempre acaba voltando e definhando uma passagem bíblica para defender seu ponto de vista. É um livro de fácil entendimento, sem os “teologismos” que alguns livros carregam. É uma conversa simples, franca, expondo situações que você com certeza já viveu, ou conhece alguém que já tenha vivido.

 

TAMBÉM NÃO VAMOS “DEMONIZAR” O NAMORO

O título “E se eu te desse motivos para não namorar” foi apenas um chamariz para chamar a sua atenção para o tema. A ideia aqui não é condenar você que está namorando, e nem “demonizar” o namoro, mas sim te fazer repensar nossas ideias sobre namoro, pensando em um relacionamento responsável, que antes de mais nada agrade a Deus, e que tenha como objetivo um compromisso maior, ou seja, casamento.

Talvez você não concorde com tudo o que o livro diz. Mas tenho certeza que você também vai começar a repensar o conceito de “namoro” e excluir o conceito de “ficar” após ler este livro.

Tem uma parte na Bíblia que diz:

Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem.
1 Tessalonicenses 5:20-21

E eu acredito muito nisso. Com discernimento que Deus dá, é possível observar e absorver muitas coisas boas para a nossa vida (material e espiritual). A bíblia é, e sempre será o nosso Guia para namoro e para tudo na nossa vida. Não estou incentivando você a trocar a Bíblia por um livro. Aliás, só estou indicando ele porque gostei muito da forma como o escritor baseia suas propostas na Palavra. No final, esse é um livro que chama a nossa atenção para esse assunto e acaba nos fazendo abrir a Bíblia para conferir alguns conceitos mostrados pelo escritor.

Recomendo esse livro para todos vocês, e que vocês possam reter o que é bom.

Quem se interessar, baixe neste link: http://bit.ly/M59BSY (me avise nos comentários se o link não funcionar)

Ou compre na livraria de sua preferência. Segue o link do Buscapé: http://bit.ly/1gaql4B

Anúncios