Aaaaaaaahhhhhhhhh… o amor! Como é bom senti-lo! E só sabe a gente, que sente, né?

Quando eu penso em você, o dia fica mais lindo, as noites mais estreladas…

Tudo tem mais cor, mais aroma, mais sabor….

E de repente, todos aqueles poemas, histórias românticas… e as musicas… tudo começa a fazer sentido….

Ah! E eu nem sabia como é bom sentir o amor! Esse amor que eu sinto por vc… 

Cara, é muito bom esse sentimento, o amor. E vc, também quer sentir o amor?

Hmmm… Sentir o amor? Aiaiaiai… como é que eu vou te dizer isso?…

Então, se você está achando que o amor é apenas um sentimento, VC ESTÁ FAZENDO ISSO ERRADO!

É que o amor não é apenas um sentimento… O amor também é uma decisão, um mandamento!

Quer que eu prove? Então tá, então eu vou provar com a Biblía, usando palavras Daquele que mais entende de amor:

E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
Este é o primeiro e grande mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 
Mateus 22:37-39

Então, né? Jesus mandou a gente amar a Deus acima de qualquer coisa. E Ele mandou a gente amar ao nosso próximo como a nós mesmos. Ele mandou. Isso é uma ordem, um mandamento, uma escolha, e não apenas um sentimento…

Sim, amar é um ato de escolha:podemos escolher entre obedecer o mandamento de Deus e amar, ou desobedecer a Deus e não amar.

Quer saber o que é apenas um sentimento? Fome, frio. Ninguém nos manda sentir fome ou frio. E não escolhemos sentir fome, ou frio. Sentimos e pronto. E depois que saciamos nossas necessidades, o sentimento passa.

Amor não é assim. Amor não é o sentimento que você tem de suprir sua necessidade.

A grande estratégia do inimigo para acabar com o amor é transforma-lo em apenas um sentimento. Ele nos convence de que o amor é algo que não podemos controlar: o amor vem na hora que ele quer, e vai embora na hora que ele quer. E assim nos tornamos em um “prisioneiro do amor”. (Aliás, um belo título para uma música sertaneja ou uma novela do SBT, rsrsrs…)

É assim que o inimigo nos convence de que temos que ficar aquela pessoa, mesmo sabendo que ele não é cristã, e é uma pessoa toda errada, que só vai acabar com a sua vida. Afinal, segundo ele, não podemos escolher, né?

“Você não manda no seu coração, sua boba (seu bobo)!” – uma grande mentira do diabo.

E é assim também que o inimigo nos convence a largar a pessoa que Deus preparou pra nos. “O amor acabou…”, diz ele. Como se o amor fosse vendido em frascos…

E assim o inimigo nos afasta de pais, familiares, amigos…

Pensa comigo: O amor é o grande mandamento de Deus, né? E é o amor que nos levará ao céu, não é? E o amor é um mandamento, certo? Mas se o diabo conseguir te convencer de que o amor é apenas um sentimento, que vem e que passa, nós iremos deixar de praticar amor. Ficaremos parados, esperando o “amor vir”… E se não praticarmos o amor, desobedecemos a Deus, e mesmo que oremos, preguemos, oremos, jejuemos, profetizemos… nada disso vai adiantar, não estaremos sendo obedientes a Deus.

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor ( ou a caridade, em algumas traduções da Bíblia), seria como o metal que soa ou como o sino que tine. – 1 Coríntios 13:1

Entendeu a estratégia do diabo para destruir nossos relacionamentos e nossas vidas? E ele vai nos convencendo disso a cada dia, a cada musica, a cada filme, a cada livro, a cada novela…

Então, hoje eu quero te incentivar a praticar o amor. Graças a Deus, o amor não é uma coisa que vem, e que passa. O amor está nas tuas mãos. Podemos e devemos praticá-lo.

Escolha amar.

Amor não é se apaixonar pelo bonitinho(a) da sua escola, facul, igreja ou trabalho… E praticar amor não tem nada a ver com o “fazer amor” que as musicas tanto pregam (aliás, isso renderia um belo texto…). Lembre-se das palavras de Jesus: amar a Deus acima de tudo, e amar ao próximo, seja ele quem for, como a si mesmo.

E não podemos reduzir o “amor” à algo que existe apenas entre um homem e uma mulher. Isso também é amor, e é muito importante. Basta olhar para os lados e ver a quantidade de divórcios e famílias destruídas para percebermos como a falta desse amor está prejudicando toda a humanidade. Mas o amor é algo que vai além disso: o amor maternal, o amor paternal (tão raro nos dias de hoje), o amor ao próximo, a amizade (uma das formas mais linda de amor, sabia?)… Enfim, o amor é grande, muito grande!

E se o amor é um mandamento e uma escolha, tenho boas notícias para nós: o amor que sentimos por Deus, por nossos pais, cônjuges, noivos, namorados, amigos e por toda a humanidade não vão acabar. É bem verdade que a palavra disse que nos últimos tempo o amor de muitos se esfriariam, mas Deus nos colocou neste mundo como portadores do amor verdadeiro, e temos o dever de distribuí-lo a todos. Este é o verdadeiro evangelismo: anunciar o amor de Cristo através do nosso amor.

 

Anúncios